teatroheader.jpg

Meros aplausos 

Por George Carvalho 

teatrologo.jpg          Geninha da Rosa Borges não merecia isso na comemoração de seus 85 anos de vida. Nem ela nem o público que compareceu ao Teatro Santa Isabel no dia 20 de junho de 2007 para ver a dama do teatro pernambucano em cena na peça 85 anos de cartaz! Geninha da Rosa Borges é Leão do Norte, um monólogo em sua homenagem. O que se viu, no entanto, foi uma montagem com uma direção descuidada que, em hipótese alguma, corresponde à trajetória teatral da aniversariante. E foi justamente essa trajetória que motivou os aplausos constantes durante a apresentação.

            Pasmem: a atriz estava completamente perdida no palco! Quem já teve oportunidade de vê-la em cena, com sua interpretação firme e segura, não reconhecia ali uma trajetória de mais de 66 anos de teatro. Um erro básico na disposição do cenário impediu a completa visualização por parte da platéia de uma das poucas cenas em que foi possível ver Geninha da Rosa Borges desempenhando com maestria a arte de interpretar. Trata-se da cena em que a atriz declama um poema francês, enquanto Pedro Oliveira – na sua melhor performance, diga-se de passagem – realiza os movimentos que são descritos pela atriz. A interpretação de um poema de Garcia Lorca pela aniversariante também merece destaque.

geninha.jpg           O figurino de gala, assinado pela própria Geninha, estava em perfeita sintonia com a proposta de comemoração de oito décadas e meia de vida. O que soou completamente divergente foi a cômica participação de Pedro Oliveira como uma espécie de sósia da atriz – cujo nome já nem me recordo. Essa homenagem – meio fora de sentido – afastou-se da proposta da peça, desviando-se completamente da tônica comemorativa. Também causou estranheza a bela foto enorme de Pedro de Oliveira – que assinou texto, roteiro e direção – bem no centro do palco. Afinal, a peça era uma homenagem a Geninha!

            Nada funcionou direito na peça. A não ser pelo coro surpresa que entoou o parabéns a você em diversos ritmos, no final da apresentação. Ainda assim, depois da exibição (desnecessária) de uma reportagem da Rede Globo NE – uma das patrocinadoras do evento. A impressão que fica é que tudo não passou de uma jogada comercial para promover uns e outros. E Geninha não precisava disso! O texto não era de todo ruim. Talvez um trabalho de direção mais apurado pudesse deixá-lo à altura da homenageada. 

geninhasaborges.jpg          Não há dúvidas de que Maria Eugênia da Rosa Borges é uma atriz tarimbada. Mas nem só de glórias é composta uma carreira artística. E ainda bem que a trajetória de Geninha é bem diferente do que se viu no Santa Isabel em 85 anos de cartaz! Geninha da Rosa Borges é Leão do Norte. Se fosse para assistir a um ensaio geral, não era preciso tanta mobilização em torno do que seria um grande espetáculo comemorativo e, muito menos, cobrar tão caro (o dobro do que geralmente se cobra para espetáculos locais).

            Contudo, o mais revoltante foi ver uma atriz motivo de tanto orgulho para as artes cênicas de Pernambuco numa situação tão vexatória, quando deveria ser exatamente o contrário. Só nos resta desejar um feliz aniversário para Geninha. E que ela continue ainda por muitos anos emocionando a todos que possam vê-la atuando, dando a honra de aplaudi-la de verdade. O que será sempre um prazer, pois ela não é uma atriz de meros aplausos – o que restou para o espetáculo em si.