CineCrtica - Regular          A vida pessoal dos super-heróis sempre despertou curiosidade no público em geral, e esse é o ponto de partida da segunda aventura do quarteto fantástico, quando a Mulher Invisível (Jessica Alba) e o Sr. Fantástico (Ioan Gruffudd) decidem se casar. O estardalhaço gerado em torno da questão só é superado quando eventos catastróficos começam a acontecer no planeta devido à aparição de um ser intergalático que veio destruir o planeta: O Surfista Prateado.

          Em apenas 92 minutos de exibição, Tim Story tenta trazer personagens de volta à trama e introduzir seres superpoderosos numa história mais classificável como comédia do que ação/aventura. A tentativa seria suficiente, em termos de desenvolvimento da trama com a simples extensão de tempo de exibição, mas a Fox preferiu investir no desrespeito às tramas originais dos quadrinhos e entregar ‘um compacto’ à audiência, o que tem gerado revolta entre os fãs mais exaltados da Marvel.

          O que vemos em tela é um Surfista não tão poderoso quanto à idéia quarteto-fantastico-2.jpgoriginal ou quanto à impressão retirada do trailler comercial do filme, mas amparado em um roteiro mais criativo que o primeiro episódio da saga, melhor dirigido e com uma fotografia mais agradável. Para compensar a evolução de quesitos importantes, temos os efeitos visuais sofríveis que não fazem jus à tradição da linha Fox-Marvel, muitas vezes chegando ao ponto do ridículo.

          Nesse segundo ato, Tocha (Chris Evans) mostra menos de seu corpo e mais de seu humor, roubando a cena do início ao fim do longa. Ainda assim, a personalidade de seu personagem, bem como a do Coisa (Michael Chiklis), é subexplorada e deixa a desejar ao conjunto da obra para dar espaço à sapiência de Alicia Masters (Kerry Washington), coadjuvante que faz bonito em tela, mas é dispensável à trama, e ao drama pouco desenvolvido da possibilidade de separação do quarteto (clichê explorado em praticamente todos os filmes que dependem de um grupo).

          No fim das contas, o Quarteto Fantástico 2 (como deveria ser chamado) é um bom filme de passatempo, mas deixa a desejar como um filme de super-heróis blockbuster, apesar do bom desempenho em terras americanas. Regular como continuação, mas ideal como primeiro episódio, dada a superioridade do mesmo em relação a seu antecessor, ou seja, um bom novo começo para os que se desapontaram com o primeiro longa dos ‘fantásticos’.

Conte-nos: Como é namorar o Tocha Humana?”

Quente. Basta investir em lingerie à prova de fogo e muita pomada!”