CineCrtica - Regular            Até agora não dá para entender o que levou os juízes de Cannes a atribuir o prêmio FIPRESCI a Possuídos. O longa, que se consagra como uma das piores produções do ano, é do estilo de filme que ninguém gostaria de ver e que alguns críticos apreciam justamente por isso, alegando metáforas psicológicas profundas e sensibilidade dos personagens complexos. Possudos

            Em Bug não é isso o que acontece. O filme é realmente mal construído, conta com atuações teatrais que simplesmente não funcionam em tela grande e abusa de silêncios incômodos que nada acrescentam à obra além de aborrecimento com o preço do ingresso pago anteriormente.

            Com Ashley Judd e Michael Shannon, Possuídos conta a história de uma mulher que se esconde de seu marido, cultiva amarguras por ter perdido seu filho de seis anos em um supermercado e que conhece um andarilho perturbado por sua passagem no exército. A problemática apresentada aparece após os dois se envolverem sexualmente e começarem a enxergar insetos em seus aposentos e em seus corpos, levando-os a delírios.

            Assista se for de graça e apenas se não tiver nada melhor para fazer.

“Eu entendi, você me odeia”

 “Eu não te odeio, o que te fez pensar isso?”

“Ta bom.”

 “Eu não te odeio!”

“Faz tempo que eu estive com uma mulher, mas acho que com você eu poderia fazer sexo”